14 de ago de 2016

META

    Sonoridades retumbantes de sentido sutil e subjetivo. Ritmo cadente, veloz, disparado. Cada sílaba guarda uma harmonia poética. Uma melodia frasal se tece diante de nossos lábios e se dissolve no vazio do verso seguinte. Versos e contraversos projetam uma dança incerta, quase profética. E no silêncio que se segue, restam ecos de um sentimento revivido.